ARTIGOS

Vinte maneiras radicais de economizar água

Publicado em 11 de fevereiro de 2015 às 12:09 | Autor: Artigo

por Renato Essenfelder* com ilustração de Loro Verz**

trilha sonora: Vagalume

» Com o prolongamento da estiagem e a ameaça de um iminente rodízio de água a partir de março, é preciso pensar em formas mais agressivas de economia. Reduzir o tempo do banho, acumular roupa e louça antes de lavar, fechar as torneiras e instalar redutores de vazão são medidas louváveis, porém insuficientes.

Hora de pensar em métodos mais radicais – embora nem sempre saudáveis, ressalve-se – de poupar água.

Eis algumas ideias de racionamento para os fortes. Para os muito fortes.

Continue lendo »

Comentário: 0

ARTIGOS

O Homem do Direito

Publicado em 9 de fevereiro de 2015 às 10:18 | Autor: Artigo

*por Agop Kayayan

O ex-Procurador-geral da República, Aristides Junqueira. Foto: Reprodução

Certa vez, um colega do UNICEF me alertou ao desejo demonstrado pelo Procurador-geral da Republica, em conversar comigo. Há dois assuntos técnicos nos quais sou quase analfabeto, ou melhor, analfabeto funcional: assuntos legais e religiosos. Tenho que admitir que fiquei impressionado, pois o título Procurador-geral da Republica soa tão forte como Presidente da Republica.

Pedi, então, para marcarem, a reunião com o Procurador-geral, o mais rápido possível. Se não estou enganado, na época os escritórios da Procuradoria Geral ficavam num prédio muito modesto na L2 Sul em Brasília. Aprendi durante minha carreira no UNICEF, a observar o nível de luxo de escritórios. Não que ficasse impressionado pelo nível do luxo, ao contrário, ficava irritado com o luxo exagerado de alguns ambientes de trabalho na capital Federal. O escritório inteiro era de uma modéstia exemplar. Continue lendo »

Comentário: 0

ARTIGOS

O Amor nos Tempos da Seca

Publicado em 4 de fevereiro de 2015 às 9:50 | Autor: Artigo

por Renato Essenfelder* com ilustração de Loro Verz**

trilha sonora: Samba do Grande Amor

» Anúncio no Tinder, 2015: tenho água das 6h às 15h, procuro mulher com água das 15h às 6h para relacionamento limpinho.

Tinder, 2016: tenho água aos sábados, procuro parceira com água às quartas. Revezo banho.

*** Continue lendo »

Comentário: 0

ARTIGOS

Somos todos medíocres

Publicado em 28 de janeiro de 2015 às 13:13 | Autor: Artigo

Mas podemos deixar de sê-lo. Ousaremos?

por Renato Essenfelder* com ilustração de Loro Verz**

trilha sonora: best of you

» Somos medíocres. Até aí, mera constatação. Ser medíocre significa ser mediano – nem bom nem mau, nem pequeno nem grande, segundo os dicionários. Claro que também significa para nós, muito mais agudamente, ser sofrível, ter pouco valor. Somos isso também, esmagadoramente: medíocres.

Ninguém quer ser medíocre. Ao menos não conheço uma única pessoa que diga quero ser medíocre, notoriamente desprovido de valor. Por isso ninguém toca no assunto, ninguém faz a temível pergunta. Será que eu sou? Você é? Fazê-la invariavelmente significa admitir o óbvio – então, como nas famílias em que os velhos se recusam a enxergar a diferença, seguimos voluntariamente cegos.

Não queremos ser medíocres, porém somos. Por quê?

Continue lendo »

Comentário: 0

ARTIGOS

O melhor de uma viagem

Publicado em 17 de dezembro de 2014 às 13:34 | Autor: Artigo

por Renato Essenfelder* com ilustração de Loro Verz**

O melhor de uma viagem não são os monumentos, pedras seculares, afrescos preciosos – são as pessoas que você encontra no caminho.

Uma viagem é feita de pedras, paisagens, direções, confusões, atalhos. Iscas para os olhos: monumentos.

Continue lendo »

Comentário: 0

ARTIGOS

Viajar e descobrir a si próprio

Publicado em 10 de dezembro de 2014 às 10:58 | Autor: Artigo

por Renato Essenfelder* com ilustração de Loro Verz**

Nelson Rodrigues disse que viajar é a mais empobrecedora e burra das experiências humanas. Tinha seu bocado de razão, mas também seu bocado de exagero. Na vida possível, na única vida que temos, não é bem assim.

Atravesso o Atlântico para ir a um congresso em Portugal. Finda a missão, os caminhos se bifurcam. Ando. Ando muito. Nas ruas ninguém me percebe. Nada me sabe: pavimentos, lojas, árvores, postes, placas, pombos, cães. Passo incógnito. Não sei se me apago ou se me reafirmo, sem referência em terra estrangeira.

Continue lendo »

Comentário: 0